Home Portal do Níquel Galvabrasil Prêmio Brasil Galvanizado Zinco Salva Crianças Facebook EN

Notícias e Artigos Explore mais notícias e artigos

14/12/2016

Cobre opera em alta, à espera de decisão do Fed

Fonte: Jornal do Comércio

Os contratos futuros de cobre operam em alta nesta quarta-feira (14), embora sem muita força, com investidores à espera do resultado da decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), que sai às 17h (de Brasília).

Na London Metal Exchange (LME), o cobre para três meses subia 0,3%, a US$ 5.731 a tonelada, às 9h50min, após tocar na sessão anterior seu patamar mais baixo desde 22 de novembro. Às 10h10min, o cobre para março subia 0,31%, a US$ 2,6065 a libra-peso, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).

Um relatório da LME mostrou que os estoques de cobre continuam a aumentar, com um avanço no último dia de 22.500 toneladas.

O cobre já se valorizou mais de 20% nos últimos três meses, o que confunde analistas, que previam estagnação em um cenário de excesso de estoques. Observadores do mercado divergem sobre se o rali é justificado.

Executivo-chefe da Codelco, a mineradora estatal do Chile, Nelson Pizarro previu na terça-feira que o preço recue para uma média de US$ 2,40 a libra-peso na Comex em 2017. O Goldman Sachs, por outro lato, elevou sua projeção para os próximos seis meses e prevê US$ 6.200 a tonelada em Londres, quando antes esperava US$ 4.800 a tonelada. O banco espera ainda que a média em 12 meses fique em US$ 5.600 a tonelada, de US$ 4.800 anteriormente.

O banco notou um forte aumento no apetite dos especuladores pelo metal, mas disse que o rali é baseado em fundamentos fortes. Segundo a corretora Marex Spectron, apostas de especuladores são responsáveis por um terço do avanço nos mercados futuros do metal até 8 de dezembro.

O analista Max Layton, do Goldman Sachs, disse que em um curto período de seis semanas houve dados que apontam para um salto na atividade industrial, notavelmente na China. "A melhora no crescimento da demanda foi muito mais forte do que havíamos antecipado e parece que absorverá boa parte da 'barreira do estoque' que prevíamos que fosse puxar os preços para baixo", afirmou.

Os mercados aguardam a decisão de política monetária do Fed, às 17h. Meia hora depois, a presidente do BC dos EUA, Janet Yellen, concede entrevista coletiva. Taxas de juros mais altas em geral pesam sobre as commodities, levando dinheiro para ativos que pagam retornos.

Entre outros metais básicos negociados na LME, o alumínio caía 0,2%, a US$ 1.736 a tonelada, o chumbo recuava 0,3%, a US$ 2.336 a tonelada, o níquel avançava 0,7%, a US$ 11.455 a tonelada, o estanho tinha baixa de 0,2%, a US$ 21.230 a tonelada, e o zinco subia 0,3%, a US$ 2.725,50 a tonelada.


Leia outras notícias e artigos

Associados ICZ

B.BOSCH GALVANIZAÇÃO DO BRASIL
Galvanização Raitz
Ind. Tudor de Baterias
Morlan S. A.
Nexa Resources
Oxiprana Indústria Química Ltda
PIGMINAS Fábrica de Pigmentos Minas Gerais
TRATHO METAL QUÍMICA LTDA.
Zinc Metais
ZINKPOWER
Ztec Galvanização a fogo